jusbrasil.com.br
15 de Agosto de 2022
    Adicione tópicos

    ASTÉRIO PEREIRA GANHA TÍTULO DE BENEMÉRITO E DISCURSA EM FAVOR DA PM

    Um discurso em defesa da Polícia Militar fluminense marcou a homenagem que o deputado Iranildo Campos (PTB) prestou ao procurador de Justiça do Ministério Público Astério Pereira dos Santos, nesta quarta-feira (10/12), ao entregar ao ex-secretário estadual de Administração Penitenciária o Título de Benemérito do Estado do Rio. Santos disse que sem a PM nada acontece no estado, citando eventos como as eleições e as campanhas de vacinação. "Temos que nos unir em favor dessa valorosa corporação e não permitir que ela deixe de estar presente onde quer que seja, fazendo a segurança nas mais diversas instituições do nosso estado", disse o homenageado, que é coronel reformado da PM. "Astério saiu da PM e da secretaria com notas 10, conferidas por todos, inclusive por seus críticos", afirmou o petebista Campos.

    O parlamentar revelou que conhece o procurador há muito tempo. "Lembro-me do Astério como diretor do presídio de Água Santa. Dali, começamos uma amizade bastante forte. O que mais me chama atenção no trabalho dele é a qualidade de tudo que ele faz e a preocupação com a coisa pública, a sociedade", comentou Campos. Presente ao evento, o primeiro vice-presidente da Casa, deputado Coronel Jairo (PSC), ressaltou as qualidades do ex-secretário: "É (foi) um grande oficial, amigo e competente. Quando ele foi para o MP, tinha certeza de que faria uma grande carreira. Alguns homens são bons e outros, ótimos, mas há os que, como Astério, são imprescindíveis". O ex-secretário de Direitos Humanos Jorge da Silva comentou que não é sempre que se conhece alguém como o homenageado, com tanto respeito por seus superiores, pares e subordinados.

    "Lembro de duas palavras básicas para explicar a sociedade e seu funcionamento: a sobrevivência e a vontade. Juntas, elas nos dão poder, e muito me honra estar recebendo esta honraria através do Poder que melhor reflete o social: o Legislativo", definiu Santos. O procurador nasceu em Rio Bonito, cidade da região Metropolitana do Rio, em 1947. Em 1966, ingressou na Polícia Militar, de onde saiu no início da década de 1990, após denunciar fraudes em notas fiscais praticadas por oficiais do 19º Batalhão, em Copacabana. Começou sua carreira no Ministério Público em 2001, já tendo atuado nas comarcas de São Gonçalo, Volta Redonda, Niterói, Magé, Nova Iguaçu, Nilópolis e da capital.

    Compuseram ainda a mesa de cerimônia os procuradores de Justiça José Guimarães e Décio Luiz Soares, o coronel PM Wilton Soares Ribeiro e o delegado federal Fábio Ricardo Mota.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)